Decidimos fazer um cruzeiro na nossa viagem de Miami (Flórida). Todos os cruzeiros saem do Porto de Miami e n ão tinha ainda feito uma viagem de cruzeiro. Como havia vários objetivos na viagem de Miami, decidimos fazer um mini-cruzeiro de apenas 3 noites. Usualmente, o mini-cruzeiro sai na sexta-feira, com retorno na segunda-feira pela manhã.

O destino escolhido foi as Bahamas.

Muita gente pergunta: o que fazer em Miami? Fazer um cruzeiro é uma excelente forma de enriquecer o plano de viagem. E, ainda, é ótimo para sair da mesmice de compras de Miami.

Os cruzeiros normalmente partem do Porto de Miami ou do Porto de Fort Lauderdale. O nosso interesse era por cruzeiros que saíssem do Porto de Miami, já que estávamos em uma hospedagem em South Beach, sem carro nessa parte da viagem.

Como escolher o tipo de cruzeiro?

A escolha foi por um cruzeiro padrão e comum. Não estávamos interessados em diferenciais, especialmente porque era a primeira experiência em cruzeiros. O meu intuito foi ter mais essa experimentação de viagem, compreender o funcionamento de um cruzeiro (para quem viaja) e relaxar.

Escolhendo um cruzeiro marítimo

A experiência de viajar em um cruzeiro marítimo é com certeza, única. É bem mais confortável do que você imagina. (Foto: allevents.in)

Como foi a escolha da empresa de cruzeiro marítimo?

Os preços dos cruzeiros para fazer um cruzeiro comum no período de tempo destacado são praticamente os mesmos entre as empresas marítimas. A empresa escolhida foi a Royal Caribbean. A Royal Caribbean possui escritório no Brasil. E, por isso achamos mais conveniente para a nossa primeira experiência.

Um dos itinerários oferecidos pela Royal Caribbean é: Miami, CocoCay (Bahamas), Nassau (Bahamas), Miami. Coco Cay é um porto privativo da Royal Caribbean. Esse trajeto que escolhemos.

Há alguns navios que contemplam Key West (que dizem ser um lugar maravilhoso). O nosso navio foi o Majesty of the Seas. Enorme!

Como comprar o cruzeiro da Royal Caribbean?

Comprei diretamente com o próprio site da Royal Caribbean.

Para falar a verdade, algumas partes do processo de reserva achei confuso, especialmente por ser a minha primeira experiência com cruzeiros. Havia alguns pequenos problemas de navegação.

Além disso, o espaço de colocar o nome/sobrenome era pequeno e não permitiu que eu colocasse o meu nome como no passaporte. Eu conheço gente que teve problemas em viagens porque o nome não estava como no passaporte. Eu acho isso péssimo. O mínimo que qualquer sistema/site de reservas deve permitir é que o consumidor preencha os seus dados completos. Não sei se isso mudou.

No ato da compra, o cliente pode escolher adicionar as gorjetas para os tripulantes (serviços de restaurante, camareiros, governança, etc…). Nós escolhemos incluir de uma vez no pagamento (mesmo assim, demos gorjetas no navio).

Além disso, é nessa parte da reserva que você escolhe o seu “dining room” para o jantar à la carte, que descreverei a seguir. Havia duas opções de horário.

Lidando com os imprevistos no cruzeiro de Miami-Bahamas

Todo mundo que faz um cruzeiro precisa estar preparado para os imprevistos temporais. O nosso cruzeiro pela Royal Caribbean foi em março. Quando chegamos em Miami, o sol estava radiante, estava quente. E, exatamente, no dia do cruzeiro o tempo nublou e ficou sutilmente frio. Após algumas horas, já em alto mar, pegamos algumas chuvinhas esparsas. As chuvas em alto mar continuaram acontecendo, mas, algumas vezes, o sol aparecia. Mas, como dizem, era aquele “sol frio”.

Não houve condições temporais para descer em CocoCay (Bahamas). Já em Nassau (Bahamas), descemos no período da noite no mesmo dia que o navio atracou. Mas, estava tudo deserto e vimos apenas um bar perto de uma região de lojinhas aberto. O bar parecia ser até legal, mas como estava tudo vazio, desanimamos. Além disso, na entrada oficial de Nassau, havia um monte de taxista “pega turista bobo”. Daqueles que existe em todo lugar do mundo. Um funcionário da tripulação da Royal Caribbean nos deu várias dicas e, também, orientou não se afastar muito. No outro dia, estava frio e chovendo. Por isso, decidimos não descer em Nassau e aproveitarmos as atividades do navio.

A nossa experiência com o Cruzeiro pela Royal Caribbean

Havia lido em algum lugar que cruzeiro é o tipo de viagem com um dos maiores graus de satisfação para turistas. Realmente, não é difícil entender os motivos para isso. A equipe que trabalha no navio é muito bem treinado para tratar o turista e para prestar os serviços. Todos estão sempre prontos para responder quaisquer dúvidas e para resolver os problemas. Os serviços prestados pela Royal Caribbean foram bastante satisfatórios.

O Majesty of the Seas tinha restaurantes, bares, cassino, academia, spa, teatro, parede de escalada, espaço de esportes (que ocorria basquete e outras atividades), piscina, jacuzzis, cafés, sorveteria…

Sobre a comida no restaurante… O Windjammer Marketplace era um espaço voltado para buffet livre. Nesse restaurante, ocorria café da manhã, almoço e jantar. O buffet era extremamente variado. E havia opções para todos os gostos. Uma mistura de sabores! Havia até algumas opções de comida chinesa. Alguns pratos específicos podiam ser preparados na hora!

No restaurante Moonlight ocorre apenas jantares. Tudo é à la carte. Todos os dias, o cliente terá uma mesa reservada para o seu turno escolhido de jantar. Os jantares são compostos por: entrada + prato principal + sobremesa. Vou lhe dizer que é uma experiência gastronômica deliciosa! Está tudo incluído no cruzeiro e ninguém precisa pagar nem um centavo a mais. Muita gente perguntou-me sobre isso.

Além disso, havia opção de restaurante de pizzas e outro de sanduíches (junk food), que também faziam parte do pacote. Esse último havia uma taxa adicional de gorjeta. Pelo navio, havia outras opções de alimentação que não era incluso no cruzeiro, inclusive um outro restaurante chiquérrimo.

As atividades no navio eram bastante diversificadas, para todas as faixas etárias, pagas e não pagas. Shows (dentro do navio e na piscina), parede de escalada, encontro de solteiros, palestras dos mais variados assuntos (saúde, beleza, comportamento…), degustação de licores, campeonato de tênis de mesa, campeonato de basquete, quiz, jogos musicais, bingo, aula de dança, karaokê, festas, aula de yoga, oficina de scrapbooking… Especificamente no “Majesty of the Seas”, em alguns dias as atividades se repetiam bastante.

Por isso, com essa quantidade incrível de atividades, você pode imaginar que não foi um problema não ter podido descer em CocoCay e Nassau, né? Além disso, as atividades mais legais de Nassau (inclusive praias) ficavam bem distantes e perderíamos um tempo enorme de deslocamento.

O cruzeiro foi tão bacana que recomendo! Já quero fazer outro!

  • Pingback: Página não encontrada | Viagem Digital

  • Pingback: Como chegar em South Beach (Miami Beach) do Aeroporto de Miami (MIA) de ônibus? | Viagem Digital

  • http://www.viagemdigital.com.br/ Viagem Digital

    Rebecca,

    Obrigada por seu comentário. Nós usamos inglês, na maior parte do tempo. No entanto, no cruzeiro havia pessoas da tripulação que falavam espanhol. Inclusive, em conversas informais, descobrimos alguns poucos que falavam também o português (mais ou menos).

    Beijinhos. Cris.

  • Rosemeri Rosalin Paulin

    Olá Cris, no jantar com o capitão qual tipo de roupa tem que usar terno/gravata e vestido longo? Dá para os rapazes usarem sapatenis? Obrigada!

    • http://www.viagemdigital.com.br/ Viagem Digital

      Rosemeri, querida,

      Obrigada por seu comentário! No jantar com o capitão indicavam que as mulheres tinham que usar longo e homens terno e gravata.

      Porém, havia muitos, muitos hóspedes com outros trajes. Pra você ter ideia, eu usei um tubinho discreto, elegante e que não era curto.

      A tripulação não se importa muito com a forma que os hóspedes estavam vestidos. Eu não sei se foi o caso desse cruzeiro ou se todos são assim. Havia até pessoas com aquelas camisas havaianas, para você ter ideia.

      Espero tê-la ajudado! Depois, volte aqui para compartilhar a sua experiência de viagem!

      Beijinhos.

      Cris.

  • Michelle Soares

    Olá Cris, estou interessada em realizar esse cruzeiro no próximo ano e o seu texto tirou algumas dúvidas a respeito,mas eu vi que eles não vendem pacotes com as bebidas incluídas, gostaria de saber se as bebidas são muito “salgadas” e se eles vendem pacote de bebidas lá dentro?? Obrigada.

    • http://www.viagemdigital.com.br/ Viagem Digital

      Michelle, querida,

      Obrigada por seu comentário! O pacote all inclusive do cruzeiro inclui: água, chá gelado e refresco durante as refeições (a água das garrafas da cabine é cobrada). As bebidas alcoólicas vendidas no navio eram bem caras (pelo menos para mim). E, se você paga um pacote sem bebida alcoólica, comprar avulso no navio é bem mais cara. Normalmente, os cruzeiros oferecem pacotes com inclusão de bebidas alcoólicas (para alguns drinques e alguns tipos de bebidas específicas, não sei exatamente). Mas, saiba que a inclusão de bebidas alcoólicas geralmente deixa o cruzeiro com valor bem mais elevado. Muitas linhas de cruzeiro permitem que o viajante leve 2 garrafas de
      vinho ou de espumante. O que eu fiz – da Royal Caribbean – permitia duas de
      vinho.

      Querida, vou indicar outros posts que podem lhe ajudar na sua viagem de cruzeiro:

      http://www.viagemdigital.com.br/cruzeiro-viagem/

      http://www.viagemdigital.com.br/dicas-economizar-viagem-cruzeiro/

      Espero que ajude na sua viagem!

      Se fizer o cruzeiro, volte aqui para contar a sua experiência! É sempre bom saber!

      Beijinhos. Cris.