A foto é uma das melhores recordações de viagem.

É uma delícia depois de tanto tempo olhar os registros da viagem pela fotografia.

(Re)lembramos de momentos, de risadas, de embaraços de viagem, do diferente, do similar, de pessoas que conhecemos e aquelas que estavam conosco, de cheiros, de sabores…

A fotografia é também memória de viagem.

É o que consegue captar ali a nossa seleção da viagem, que é algo tão particular, tão especial.

Ao mesmo tempo, significa compartilhar emoções. Quem nunca chegou de uma viagem e logo foi mostrar para os pais todo o roteiro de viagem através da fotografia? E, as fotos caem até nas redes sociais para socializar toda a alegria da viagem. Por isso tudo, é fundamental ter uma máquina fotográfica legal.

Como escolher a máquina fotográfica|Imagem: Kala Morgan|

Hoje o site VIAGEM DIGITAL traz algumas dicas para escolher uma máquina fotográfica digital compacta!

Quase tudo que compramos, há considerações pessoais e sociais prévias antes da aquisição. O que vou tentar trazer aqui é algumas considerações mais gerais e completas sobre a compra de uma câmera pequena.

E, embora a tecnologia mude muito rápido, uma boa escolha de máquina fotográfica pode fazer você usa-la por anos, sem precisar trocar. Do tipo – até estragar!

6 características da câmera para observar

  • Megapixels. Hoje em dia, isso não entra mais como um elemento de desempate porque, afinal de contas, qualquer “camerazinha da lojinha do zé” tem muitos megapixels. Muito mais do que muitos de nós precisamos, normalmente. Influencia na qualidade da foto, mas ver isso de maneira isolada é um grande erro. Qualquer coisa com mais de 10 megapixels está ótimo! Não se engane com as marcas que enfocam apenas nisso!
  • Abertura do diafragma e lente. Uma característica interessante para presentar atenção. É a abertura, o qual a luz passa. Geralmente, é representado com f e um número em seguida [f /número]. Isso afeta muitas características do ponto de vista técnico da foto. Mas, o principal a saber é que um [f /número] baixo significa mais luz entrando na lente, mais velocidade no obturador. E, isso favorece o desempenho da câmera e o resultado da foto em lugares mais escuros e/ou cenas rápidas (que acontece muito rápido, sabe como?). Ou seja, quanto menor essa relação, melhor. E, aqui é uma característica que eu considero muito importante para se considerar. Hoje em dia no mercado há câmeras compactas com f/1.8-4.9 (vi umas da Sony, Nikon), f/2.8-4.00 (Lumix, Nikon).
  • Sensor. Relaciona-se com o aproveitamento da lente, a sensibilidade à luz e o “ruído” na foto. A maioria possui sensor CCD (charge-coupled device) ou CMOS (complementary metal-oxide semiconductor). Basicamente, convertem a luz em elétrons e, em seguida, em imagem dentro da câmera (no processador). Quanto maior o sensor, melhor a qualidade da foto (compare). O sensor CCD é considerado melhor que o CMOS, por oferecer menor ruído na foto, embora esse último consuma menos energia. Mas, a meu ver, não há uma fórmula única do tipo – compre apenas com o sensor CCD. E, visivelmente, na tecnologia das máquinas de hoje há muita pouca diferença. O que estou querendo dizer com isso é que só isso não deve definir a sua decisão sobre qual comprar (como muitos defendem). Observe o conjunto e, principalmente, associar esse aspecto com o acima (abertura do diafragma). Quer um exemplo? Uma boa parte da câmeras compactas da Nikon usam o CMOS e são consideradas “fodásticas no mercado”. Isso é indiscutível (ainda que alguém tenha predileção por outra marca). E, hoje já há uma nova geração de “compactas avançadas” com sensor SLR, com aquela lente acoplada.
  • Zoom. O zoom significa o quanto a imagem que você está focalizando pode ser aproximada (falando a grosso modo). Muita gente foca na questão de zoom sobre compra de câmera. Mas, isso, na verdade, divide muitas opiniões. Eu não acho que a máquina compacta precisa de um “zoom fodástico”. Mesmo porque, se a pessoa quer um zoom óptico poderoso pra caramba, deve optar por outro tipo de câmera, não a compacta. Lembre-se que há diferença de zoom ótico e zoom digital. O mais legal é observar o zoom óptico. E, essa característica aqui é como megapixels. Qualquer “camerazinha da lojinha do zé” tem um bom zoom para esse tipo de câmera. Geralmente, com zoom ótico acima de 5x está bom para uma câmera compacta.
  • Memória. Há uma nova geração de máquinas que permitem a introdução de cartões (além da memória interna dela). Eu gosto dessa ideia de poder tirar o cartão para “descarregar” as fotos de maneira bem prática.  Algumas no mercado permitem cartões com capacidade de armazenamento bem grande. Mas, não fique frustrado se a câmera não permite isso. Há algumas boas também, com boa memória interna.
  • Preço. O mais sensato é escolher sempre um bom custo x benefício. E, cada um sabe aquilo que pode comprar, até onde pode gastar por uma nova máquina fotográfica. A meu ver, o ideal é tentar perceber o conjunto dessas características com aquilo que se pode pagar. E, veja – não adianta olhar de forma isolado só o megapixels, o zoom, por exemplo. É o conjunto.

Plus para a sua câmera

  • Vídeo FullHD. Cada vez mais, as pessoas se interessam em usar o recurso de vídeo da câmera. E, guardar esse registro também pode ser muito bacana. Não é algo fundamental, mas vale considerar. E, o melhor são câmeras que fazem vídeo com qualidade FullHD.
  • Wireless. Pode ser útil para quem gosta de fazer upload das fotos rapidamente e/ou compartilhar nas redes sociais redes sociais. Você encontra um wi-fi disponível e já compartilha. Muitas que possuem esse recurso também permitem aquele disparo automático controlado com celular (após baixar um app específico).
  • À prova d’água. Pode ser útil para quem adora cair na água. Frequenta muito cachoeira, mar? Essa pode ser uma boa para você.
  • Estabilização de imagem. Basicamente, ajuda a evitar aquele “borrado”, embasado e/ou tremido das fotos. Geralmente, ocorre quando há pouca luz e/ou “coisas” em movimento. A câmera ajuda a coordenar a velocidade do obturador e fazer uma “foto mais limpa”. Não pense que a câmera faz milagres, ok? É um recurso, mas há certas situações que não tem jeito.

A qualidade das câmeras compactas estão impressionantes! E, as maiores vantagens são praticidade e portabilidade. Com uma boa máquina fotográfica compacta, é possível fazer boas fotos. E, ao mesmo tempo, aprender muito a fotografar. Há muitas possibilidades para explorar nesse tipo de câmera. Menor e espertas!

Não esqueça também de usar bons recursos de armazenamento de arquivos na nuvem (eu adoro o Picasa, o Dropbox, o One Drive).

E, você? Considera alguma outra característica não listada aqui que deve ser considerada? Qual a compacta que você indica?