O mercado de cervejas especiais cresceu espantosamente nos últimos anos no Brasil. Uma das explicações foi o crescimento econômico e a estabilidade que o Brasil experimentou a partir de 2004 (mais ou menos), favorecendo a introdução de novos hábitos de consumo.

Quem gosta de cerveja artesanal já deve ter lido muitos rótulos e percebeu que grande parte da produção das cervejas vem do sul do Brasil. Nem só de vinhos, o sul vive! Não é mesmo?

Pensando nesse potencial, um roteiro foi formatado pelos órgãos de turismo oficiais de Nova Petrópolis, de Gramado e de Canela, que reúne algumas cervejarias. Esse roteiro turístico pretende atrair os amantes de cerveja!

Viagem Serras Gaúchas

|Imagem: Wikimedia Commons|

Os turistas poderão conhecer o processo de produção das cervejas, a história de cada cervejaria, tipos de cervejas e, em alguns casos, até fazer degustação. É um outro “olhar” para a Serra Gaúcha e mais uma maneira de atrair pessoas para a região. Cada cervejaria oferecerá a sua visita guiada, ao seu modo.

Cervejarias de Nova Petrópolis

  • Cervejaria Edelbrau (desde 2011). Tipos de cervejas: pilsen, weiss, dunkel, pale ale, blond ale e oatmeal stout (sazonal).
  • Cervejaria Vitrola (desde 2012). Tipos de cervejas: witbier, weiss, pale ale, amber ale, IPA e porter.

Cervejarias de Gramado

  • Cervejaria Gram Bier (desde 2014). Tipos de cervejas: pilsen, porter, weizenbock, (belgian blond ale), weizen, american IPA.
  • Cervejaria Rasen Bier (desde 2008). Tipos de cervejas: pilsen, ambar, weizen, dunkel, brown ale (sazonal), strong golden ale (sazonal).

Cervejarias de Canela

  • Cervejaria Farol (desde 2003). Tipos de cervejas: pilsen, weilzenbock, tripel e IPA.

Essas cervejarias fazem parte do roteiro oficial formatado pelos órgãos de turismo dessas cidades da Serra Gaúcha. Outras cervejarias da região estão sendo convidadas a participar. Recebi as principais informações da Secretaria de Turismo de Gramado (por Bárbara Konrath).

É um trabalho bem similar ao que as vinícolas do sul vem desenvolvendo. Só espero que as cervejarias consiga agregar valor e não fazer visitas vazias que apenas mostram (quase que de forma panorâmica) o processo da produção da cerveja.

As cervejarias que querem trabalhar com visitação/degustação precisam se preocupar em oferecer uma excelente experiência. O que esse tipo de consumidor procura nesse tipo de experiência? O que é mais importante para ele? Como tornar a degustação como o ponto alto desse tour? Como fazer com que o turista reforce a marca da cerveja? O turismo cervejeiro pode fazer com que o turista crie uma conexão mais fiel com a marca. Já pensou nisso?

Quem se interessar por fazer esse tour, não deixe de entrar em contato com as cervejarias antes. Algumas só possuem visitação no sábado. E, algumas não possuem degustação de cerveja (e sim de chopp).

A região oferece outras várias cervejarias que você também pode criar o seu próprio tour e visitar! É bom estar aberto a outras descobertas!

O que acham dessa da rota cervejeira das Serras Gaúchas? Agrada?