Fazer intercâmbio no Canadá não é apenas uma experiência de aprendizado de idioma, mas de trocas culturais e de amadurecimento individual. É uma vivência significativa e memorável para a vida toda. O Canadá já é considerado um dos principais destinos para quem quer aperfeiçoar o inglês. Há quem diga que é mais barato que Austrália, Estados Unidos e Londres.

Algumas cidades como Calgary, Edmonton, Halifax, Ottawa, Toronto, Vancouver, Victoria, Winnipeg são conhecidas pelas escolas de ESL (English as Second Language = Inglês como Segunda Língua).

Ao contrário que muitos pensam, intercâmbio para aprender línguas estrangeiras não é privilégio de jovens! Cada vez mais, pessoas mais velhas tem decidido investir dinheiro nesse tipo de viagem e o mercado tem ficado atento a esse tipo de público. Como vocês sabem, cá estou eu aqui com 30 e poucos anos estudando inglês em Vancouver, no Canadá.

O site VIAGEM DIGITAL traz um guia completo sobre intercâmbio de idiomas no Canadá com vivência! O foco dessa matéria é sobre intercãmbio para idioma inglês. Para fazer essa matéria colhi dúvidas por meio de seguidores do Instagram do Viagem Digital e com amigos que pensam em ter esse tipo de experiência.

Fazer intercâmbio no Canadá

|Eu e minha colega de classe koreana na aula de inglês|

Planejamento do intercâmbio no Canadá

O tempo máximo que se recomenda para fechar um intercâmbio é três meses antes da data da viagem. Lembre-se que estudar fora envolve uma gama de burocracias e você terá que tirar o visto canadense na maior parte das situações (mesmo como “visitor”). O seu planejamento de intercâmbio precisará de envolver as seguintes decisões no mínimo: tempo de estudo (6 meses, 1 mês, 1 ano), moradia (com agência ou por conta própria?), passagens aéreas e outros detalhes que aparecerem. Você vai perceber que até a preparação da mala vai envolver algum planejamento.

Como são as escolas de intercâmbio no Canadá?

Trato aqui das aulas de inglês geral (General English). Não vou entrar em detalhes de aulas para business, IELTS, TOFL, pathway, dentre outras. As boas escolas aplicam um teste de nivelamento para o ingresso do aluno nas aulas. Assim, o aluno já entra no nível mais adequado ao seu conhecimento. A prova de nivelamento vai variar de escola para escola, obviamente. Agora, vamos aos detalhes!

  • Estrutura dessas escolas de idiomas

A estrutura das aulas vai depender de cada instituição. Normalmente, as aulas costumam ser divididas em main class (aula principal) + elective class (aula eletiva), ministradas de segunda à sexta-feira, exceto feriados. A aula principal é a maior e os professores trabalham todas as habilidades do inglês: speaking, listening, reading, writing. A gramática é constantemente trabalhada. Tudo isso conduzido por um livro didático adotado pela escola. Os professores costumam trazer conteúdos adicionais. Mesmo que a escola não tenha divisão, as aulas são bem parecidas.

A aula eletiva é escolhida pelo aluno. Geralmente, escolhem aquilo que precisa ser melhor desenvolvido. As opções de eletivas disponíveis dependerá do nível de inglês do aluno. Alguns exemplos de aulas eletivas são: gramática, listening and speaking, pronúncia, colocations, dentre outros. As aulas eletivas geralmente são dois dias na semana (vai depender da escola). Nos dias que não tem eletiva, tem a continuidade da aula principal. Deu para entender? Ou ficou confuso? Não quer dizer que todas escolas são assim.

Ao final de cada ciclo são feitas avaliações. Se o aluno obtiver uma porcentagem específica sobe o nível. Caso não, precisa repetir. Essas avaliações podem ser confeccionadas pela própria escola ou adotar alguma outra prova de Cambridge, como o FCE (First Certificate Practice). Isso é algo bom que você pode verificar sobre a escola ao escolher.

  • Corpo docente

As melhores escolas de inglês do Canadá são exigentes e boa parte dos professores possuem proficiência. Uma dúvida que muita gente tem é se todos os professores são canadenses. Não são. Há professores de outras nacionalidades, especialmente em cidades cosmopolitas, como Toronto e Vancouver.

  • Tipos de programas de estudo

Há inúmeros programas de estudo de idioma. O inglês geral (General English) é aquele programa similar ao que é trabalhado nas escolas de inglês no Brasil e o que quase todos fazem.

Há também alguns focados em negócios, inglês com propósitos acadêmicos, IELTS, TOFL, cambridge FCE/CAE, dentre outros. Para se registrar em alguns desses, vai ser preciso ter o nível intermediário, avançado, dependendo de qual for, claro.

  • Tempo de curso

O tempo de curso vai depender do próprio aluno. A maior parte das escolas oferecem no mínimo duas semanas e pode alcançar um ano e até mais, dependendo do nível do aluno e até aonde quer chegar. Geralmente, os alunos cursam em média 3-6 meses. Há alunos japoneses que começam no início do básico e vão até os níveis mais avançados. Outros, fecham o ciclo da escola.

  • Projetos extracurriculares

Muitas escolas organizam eventos e viagens para os alunos. A maioria das atividades são pagas e são uma forma da escola também ganhar dinheiro, embora haja alguns eventos gratuitos. E aqui vale um recadinho: só tome cuidado para não ficar muito na “curtição” e esquecer de estudar inglês.

Fechar o intercâmbio com agência ou por conta própria?

Não há certo ou errado. O mais importante é sempre se informar bastante em qualquer situação. As escolas mais renomadas de inglês possuem um departamento voltado para atender estrangeiros e a maioria possui uma pessoa que fala português para atender o público brasileiro. Como se diz: “It’s up to you” (Você decide!).

Fazer sozinho sempre dá mais trabalho e vai precisar de fazer uma pesquisa extensa e lidar com trâmites burocráticos. Para quem escolhe fazer por conta própria, o mais importante é procurar escolas com boa reputação e com referências. Com internet hoje em dia não é difícil fazer isso. As escolas de ESL costumam oferecer condições especiais (=descontos) para quem vai fechar por mais semanas.

Caso escolha um agência de intercâmbio, não se esqueça de pesquisar registros, processos no Procon. Além disso, faça uma vasta busca de agências e compare o que cada uma tem a oferecer. Outra boa dica é também verificar com agências focadas em visto e imigração canadense. Muitas possuem sede em algumas cidades canadenses e dispõe de informações privilegiadas. A grande vantagem de agência é que muitas disponibilizam pagamento parcelado e, ainda, durante todo o período do estudante no país contam com o apoio da agência.

Qualquer que seja a sua escolha, fique sempre atento aos detalhes de cada contrato! Leia, releia, esclareça dúvidas.

No meu caso, eu fechei tudo sozinha diretamente com a escola de idioma e ficou bem mais barato que pelo intermédio da agência. Mas, claro, tive também o trabalho de fechar o seguro saúde por conta e tudo que pensar de burocracia.

Pagamento de uma escola de ESL no Canadá

O pagamento pode ser feito geralmente por: “PayToStudy”, Transferwise ou por meio de uma conta canadense. Nesse último caso, você transfere o seu dinheiro da conta brasileira para a sua conta no Canadá e, em seguida, paga a escola de idiomas. Você chega no Canadá e abre a sua conta no Canadá. Eu não sei se é possível abrir uma conta remotamente do Brasil aqui no Canadá. Acredito que não.

Moradia no intercâmbio

A maioria dos alunos que vem decidem ficar em uma casa de família (“homestay family”), que geralmente é fechada junto com a escola de inglês ou com a agência de intercâmbio. A pessoa tem um quarto dentro da casa de uma família. Geralmente, o aluno fecha junto com a escola de intercâmbio. Não é barato.

Há outras opções também, como apartamentos compartilhados com outros estudantes (estilo república). E, até mesmo, casas que os quartos são todos alugados para estudantes e eles compartilham as áreas comuns, mas cada um com seu quarto.

Ficar em hotel durante o estudo de intercâmbio não acontece muito por aqui. Hotel é uma fortuna nesse país!

O Canadá possui fácil aceitação para estrangeiros?

O Canadá possui fácil aceitação de estrangeiros. Se você vem estudar idioma e ficar claro que vai voltar ao seu país é bem tranquilo. Aliás, é importante para a economia país que você gaste o seu “rico dinheirinho” aqui com estudos.

Toronto X Vancouver

Estou estou aqui em Vancouver, Canadá. Aqui é a costa mais quentinha do Canadá. O inverno não é tão rigoroso como a outra costa. E, ainda, a vantagem de estar cercados pelas montanhas e ainda ter praia. Há muitas trilhas por aqui perto, como a famosa Grouse Grind e essa é considerada uma das cidades mais saudáveis do Canadá.

Não estive em Toronto ainda, mas conheço gente que está por lá. Toronto é como se fosse a “São Paulo do Canadá” em termos de efervescência citadina (claro que não na mesma escala). Está na outra costa que é bem mais fria, mas a cidade está bem preparada para a neve. O estilo de vida noturno de Toronto oferece bem mais opções, se comparado com Vancouver.

Ambas as cidades são bem cosmopolitas e tem gente de todos os lugares do mundo. Em Vancouver, por exemplo, há muitos asiáticos. Muita chega por aqui e pensa em encontrar aquele estereótipo de canadense – caucasiano, com carinha de gringo. Aqui é pluralidade!

Pagar intercâmbio de idiomas não é a única possibilidade para vivenciar uma língua. Existe os programas de Au Pair (com limite de idade) que também pode ser uma boa opção.

Fazer intercâmbio é sem sombra de dúvidas uma experiência enriquecedora que nos muda para a vida toda! Estar imerso em um país de língua inglesa nativa é muito rico. Uma ida ao supermercado nos leva a aprender.