O planejamento de uma viagem internacional envolve muitos elementos. E, um item que há muitas controvérsias é sobre contratar ou não um seguro saúde para viagem. Fazer? Não fazer? Gasto desnecessário?

Ninguém imagina que algo ruim possa acontecer em uma viagem, especialmente um problema de saúde.

Quando estamos planejando uma viagem, normalmente, o nosso espírito muda, nós já mudamos antes mesmo de viajar. Já reparou isso? É só decidir sobre a viagem e começar a organizar que o nosso coração é pura positividade.

Mas, a verdade é que imprevistos podem acontecer com qualquer um. E, muitas vezes, não dá para contar com a “sorte”.

E, sem um seguro saúde, o que seria apenas um imprevisto pode se tornar um grande problema. Imagine só ter que fazer uma cirurgia de apêndice em outro país e estar sem nenhuma assistência saúde? Ou, então, quebrar o pé? Ou, então, ter uma infecção alimentar? Já pensou quanto teria que pagar por isso? É a sua saúde financeira que pode ir pro “beleléu” no pós-viagem.

E mais: há países que exigem que o turista tenha um seguro saúde (Tratado de Schengen).

É preciso compreender que, muitas vezes, o turista não pode usufruir dos serviços de saúde público, tal qual um cidadão do país que visita.

Muitos de nós fazemos de tudo para cortar algum custo aqui ou outro de viagem. E, muita gente fica em dúvida se deve incluir ou não o seguro saúde viagem no checklist de viagem. Bem, vamos “conversar” sobre isso!

Planejando a viagem? Leia também: Carteira Internacional de Motorista

Seguro viagem
Imagem: Wikimédia Commons / Jeremy L. Wood

Como funciona o seguro saúde?

Normalmente, o seguro saúde resguarda a pessoa durante uma viagem de situações inesperadas relacionadas à saúde, cobrindo alguns tratamentos médicos. Assim, caso o viajante sofra alguma lesão, acidente, necessite de cirurgia, consulta médica, o seguro contratado irá cobrir, de acordo com o valor contratado. Há diferentes categorias de coberturas – das mais simples até aquelas que incluem serviços mais complexos.

Ou seja, basicamente paga-se uma apólice de seguro que cobre as despesas médicas em uma viagem no exterior, caso seja seja necessário algum tipo de assistência médica. E, geralmente, vem listado cada serviço que é coberto.

O seguro saúde viagem pode ser comprado diretamente com uma companhia de seguros ou com uma operadora/agência de viagem. Algumas empresas de cartão de crédito também oferecem assistência saúde para determinados tipos de clientes de cartão. Mas, o questionamento amplamente feito sobre esses seguros de cartão oferecidos é que o valor de cobertura é muito baixo.

O que saber antes de fechar o seguro saúde?

Há algumas “coisas” que precisam ser observadas antes de fechar o seguro. Dependendo, alguns pontos pode ser um “divisor de águas” no momento de decidir o seguro.

  • Valor total da cobertura. Inclusive, saiba os valores para cada “coisa”.
  • O que está sendo contratado? Questione e estude tudo! Conheça os tipos de tratamento médico. Os planos descrevem o que cobre, como, por exemplo, cirurgia, tratamento odontológico. E mais: saiba como faz para acionar antes de contratar.
  • Qual especificação para o viajante na cobertura? Há seguradoras que não cobrem práticas de esportes radicais (como mergulho, rapel, etc), gravidez, alguns destinos, algumas doenças pré-existentes.
  • Quando estou segurado? A partir de que momento o seguro saúde já cobre qualquer problema? Da chegada no destino? Da entrada no avião? Cada empresa possui a sua maneira de segurar.
  • Como acionar o seguro? Geralmente, é por telefone. Mas, há algumas seguradoras que é possível fazer tudo pela internet.
  • Como é o pagamento? Há seguradoras que o contratante apenas paga o seguro e não precisa pagar absolutamente nada na viagem, caso ocorra algo e precisa acioná-lo. Outros, o contratante faz o pagamento quando estiver em campo (na viagem) e, só depois, é ressarcido.

Como escolher o seguro saúde viagem?

Essa é uma escolha muito pessoal, mas, de fato, não dá para escapar de alguns fatos. O seguro precisa cobrir todo o seu período de viagem, ter uma boa gama de tratamentos médicos (incluindo cirurgias, dentre outros) e, o principal, as políticas precisam estar associadas com o risco da viagem. Por exemplo, não adianta contratar um seguro que não cobre esportes radicais, se você irá realizar esse tipo de prática. Qual a rede de hospitais conveniados com o seguro para o seu destino de viagem?

E, repito: não esqueça de ler cada detalhe da apólice! Só assim você conseguirá selecionar um seguro que realmente atenda as suas necessidades.

Pesquise também no Procon e no Reclame Aqui sobre processos. E, não se esqueça de ouvir experiência de outras pessoas que já contrataram, especialmente aquelas que tiveram que acioná-lo. Há também muitos relatos nos blogs de viagens espalhados pela internet. Informação é fundamental para escolher o melhor seguro saúde viagem.

Em caso de muitas dúvidas, um corretor de seguros ou um agente de viagens pode orientar na escolha do seguro viagem.

Seguro via INSS

Sabia que o INSS oferece um tipo de assistência viagem em alguns países? Não são para todos que contribuem. Vi isso em uma matéria de jornal Extra e fui atrás saber. É o Artigo 28 do Decreto 3.048/1999, “Certificado de Direito à Assistência Médica Durante Estadia Temporária” (CDAM). Os países que cobre são Itália, Portugal e Cabo Verde. É preciso emitir o CDAM antes de viajar. De acordo com a Previdência: “A emissão do CDAM é de responsabilidade do Ministério da Saúde.” No site da SNA [http://sna.saude.gov.br/cdam/] consta o passo a passo como emitir o seu certificado. No site da previdência, tem um documento disponível sobre Acordos Internacionais de Previdência Social [http://www.previdencia.gov.br/arquivos/office/3_081014-111357-716.pdf], que trata de outros países que pode ser considerado esse tipo de acordo. Os países pertencentes ao Mercosul estão dentro!

Não se esqueça que há a exclusão no seguro, caso ocorra alguma atividade ilícita (vem no contrato). Por exemplo,

Fazer o seguro saúde é uma decisão pessoal, mas você já percebeu que pode salvar a sua viagem e muito mais! Eu ainda não tive que acionar um seguro para contar a minha experiência!