O Brasil possui tantas vocações turísticas, tanta diversidade, tantas possibilidades de viagem! E, a região sul do país destaca-se por representar bem essa riqueza, impossível de conhecer tudo em uma só viagem.

O Vale dos Vinhedos (Bento Gonçalves) é um dos destinos do Rio Grande do Sul mais populares! Muitos até comparam essa região das Serras Gaúchas com a Toscana (Itália). Historicamente, a produção de vinhos no Brasil iniciou-se aqui. E, há algumas vinícolas pioneiras.

Hoje em dia, muitas vinícolas, além dos parreirais da região, também expandiram para outras regiões do Rio Grande do Sul, como como Leopoldina, Encruzilhada do Sul, dentre outros. Tudo em busca de um terroir perfeito para criar vinhos com identidade, com a cara do Brasil.

O passeio pelo Vale dos Vinhedos é uma delícia! A paisagem é incrível! Um cenário de deixar qualquer um sem fôlego! Perfeito para quem adora ver lindas paisagens, para quem ama vinhos ou, simplesmente, para quem quer conhecer um destino brasileiro especial!

Vale dos Vinhedos mapa|Garrafas de espumantes em guarda, método champenoise | Vinícola Peterlongo|

Não é só nessa região que ocorre produção de vinho/espumante, com vinícolas legais para visitar. Bem pertinho de Bento Gonçalves tem Caxias do Sul (rota dos espumantes), Farroupilha, Garibaldi e alguns outros distritos com lugares que valem a pena ser conhecidos.

O site VIAGEM DIGITAL traz um overview do Vale dos Vinhedos, vinícolas para visitar (que indicamos) e algumas dicas especiais para tornar o passeio mais agradável e genial!

É muito lindo mesmo! E fique à vontade para entrar e conhecer qualquer outra vinícola que não está listada aqui! Afinal de contas, viajar é fazer seus próprios roteiros. Há muitas vinícolas que não perdem em nada – tanto em qualidade dos vinhos quanto no estilo da visita para as vinícolas argentinas e/ou chilenas!

Melhor época para visitar o Vale dos Vinhedos?

Muitos viajantes sempre pensam sobre essa variável – melhor época. A pergunta que eu faço é: o que você quer ver? Quase todos os destinos podem ser aproveitados em diferentes estações. E, é isso: o mesmo lugar, com diferentes paisagens e sensações.

Para quem quer ver as uvas nas parreiras, geralmente, é de janeiro até fim de março. O período que ocorre a colheita varia de vinícola para vinícola, mas está dentro do período de janeiro a março normalmente. Quem gosta de curtir muito frio, fim de junho-agosto. Quem quer aproveitar e esticar para o Natal Luz de Gramado, novembro-dezembro. Visitei a região em novembro.

Onde ficar no Vale dos Vinhedos?

Quem não alugar carro, o melhor é ficar na região do Vale dos Vinhedos|Bento Gonçalves. Muitas vinícolas buscam os turistas no hotel para visitar a região. E, há outros passeios que pegam o turista em qualquer hotel da região. É mais prático, para esses casos.

Já quem alugar carro, o lugar que se sentir à vontade. Lembre-se que o motorista não pode beber. Eu fiquei em Desvio de Blauth em uma “casa boutique”, alugada pelo Airbnb. Eu fiz uma road trip por vários lugares do Rio Grande do Sul (13 dias).

Particularmente, prefiro alugar carro sempre em casos como esse porque não gosto de me sentir “amarrada” aos serviços turísticos, gosto de explorar a natureza e ter flexibilidade total de locomoção. E, há várias vinícolas que, por ventura, possa se interessar em conhecer que os passeios combinados não chegam até elas.

Quantas vinícolas por dia visitar?

Isso é algo bem particular, mas entendo que a experiência de degustação de vinhos não pode ser amparada com aquele “máximo de quantidade de visitas que conseguir por dia”. A apreciação do vinho exige tempo, é quase uma contemplação pelo paladar.

Sair “correndo” para fazer o máximo de vinícolas possíveis em um dia pode levar a uma saturação da experiência gastronômica do vinho. Degustação é uma experiência que envolve a nossa interação com todos os nossos sentidos, com quem estamos. E, por que não dizer, com o lugar? Gosto de pensar no tempo para assimilar cada vinícola no paladar, na mente. E, quem sabe criar memórias de viagens a partir da degustação de vinhos?

Por isso, acredito que no máximo duas vinícolas por dia. Disponibilidade é naturalmente importante. Acho interessante intercalar essas visitar com outros atrativos turísticos da região (veja abaixo).

Vale dos Vinhedos RS

Leia também: 10 dicas para melhor experiência no Vale dos Vinhedos

Dicas de vinícolas no Vale dos Vinhedos

Quais as melhores vinícolas do Vale dos Vinhedos? Eis aqui um ponto polêmico sobre a região do Vale dos Vinhedos. O que é ser melhor? Para alguns é uma vinícola maior (com produção industrial), para outros premiações internacionais dos rótulos e tem aqueles que acreditam em um modus faciendi artesanal, qualitativamente diferenciado.

O que sugiro é: não fique apenas nas grandes vinícolas (as mais industriais, as maiores). Esteja aberto para visitar vinícolas menores, artesanais, familiares, “boutique”. E, até mesmo, percorrer outras regiões próximas!

Um “moço” de Desvio de Blauth, que viveu boa parte da vida toda na região fez indicações que precisam ser compartilhadas. Outras, eu descobri e/ou visitei. Vou dar um overview rápido por algumas indicações. Aquelas visitadas, certamente terão um post detalhado.

  • AlmaÚnica

Os rótulos dessa vinícola são incríveis. A AlmaÚnica não é apenas uma vinícola, mas um projeto de vinhos finos, que visa a alta qualidade. É uma vinícola boutique! E, eu particularmente amo o design de seus rótulos. Acho elegante, direto. Syrah, Pinot Noir são maravilhosos! São apenas dois horários de visita por dia. Não é preciso marcar, mas vale ficar atento (sujeito à lotação)! A degustação oferece cerca de 12 rótulos! Não conheço outra que oferece tantos rótulos. Para degustar com calma, devagar.

  • Angheben

Um amante de vinhos indicou-me essa vinícola e justamente por isso despertou-me tanta curiosidade. É uma vinícola artesanal, com produção de vinhos finos de alta qualidade em pouca quantidade. É certamente uma surpresa muito especial no Vale dos Vinhedos que vale a visita! Quero voltar para ir!

  • Aurora

É uma das vinícolas pioneiras do Vale dos Vinhedos e uma das maiores do Brasil. Sua história inicia-se em 1875 e em 1931 várias famílias se juntam para formar uma cooperativa. É, sem dúvida, um pouco da história do vinho no Brasil. Quem nunca tomou também os sucos de uva delícia da Aurora? Hum, deu vontade só de falar. A visitação é gratuita.

  • Casa Valduga

A Casa Valduga é uma das vinícolas mais populares do Vale do Vinhedos. Desde 1875, a vinícola começou com o Luis Valduga e oferece muitos rótulos premiados no Brasil e no mundo. A visita dá direito a uma taça e a degustação de 6 rótulos (se não me engano). Eu amo os rótulos da Casa Valduga! São incríveis! Por isso, queria tanto conhecer. A visita começa com um vídeo. Em seguida, começa o tour pela cave. A visita foi rápida, comercial e pouco acolhedora. A guia do tour estava indiferente, não esperava fotografarmos e observarmos peculiaridades da cave. Esperava que esse tour estivesse à altura do vinho que bebo. O lugar onde a vinícola está é realmente lindo. Apesar da popularidade não é a melhora vinícola para visitação.

  • Cristófoli

Uma vinícola menor que busca agregar valor através de algumas propostas de serviços bem interessantes (e românticas). Oferece almoços e jantares, degustação no edredom nos parreirais. Amei essa ideia de sentar nos parreirais e degustar vinhos com comidinhas. É simplesmente um tipo de experiência maravilhosa, fantástica e diferente. É isso que muitos querem no Vale dos Vinhedos. Fantástico!

  • Don Laurindo

É uma vinícola familiar. Muitas vezes, o próprio proprietário faz a visita guiada. A valorização do artesanal torna a visita muito atraente frente à produção industrial. Essa foi indicação do morador local! Quem vai, afirma que o atendimento e os vinhos são diferenciais. O estilo dos vinhos é “velho mundo”, com elegância. Realmente, deve ser o máximo poder perguntar ao proprietário sobre a sua produção. É outro nível de visita.

  • Miolo

É mais uma marca de vinho de produção industrial popularmente reconhecida no Brasil e uma das mais procuradas para visitação na região do Vale dos Vinhedos.

  • Pizzato

Uma vinícola artesanal que visa a produção de “vinhos especiais”, com grande potencial. São vinhos de personalidade que refletem o terroir do Vale dos Vinhedos. O visual da vinícola também impressiona! Os rótulos Pizzato Concentus e Pizzato Alicante Bouschet (reserva) são elogiados por quem ama vinhos. A visitação é gratuita e não precisa de agendamento.

  • Valmarino

É uma vinícola pequena e familiar, fundada por Orval Salton e seus filhos. A inovação na produção dos vinhos é um dos diferenciais dessa vinícola. A experimentação na produção de vinhos junto com a valorização do seu terroir tem levado ao reconhecimento dessa vinícola. Realmente, fiquei bastante curiosa. É uma das poucas do Brasil que produz vinhos com uvas sangiovese. O que muitos dizem é: vinhos de alta qualidade!

Melhores vinícolas Vale dos Vinhedos

Vinícolas fora do Vale dos Vinhedos

  • Chandon (Garibaldi, RS)

Chandon é um dos espumantes mais conhecidos e amados do Brasil. A visitação inclui tour pela produção e degustação dos rótulos. É totalmente gratuita e precisa reservar. Essa visita foi genial! Processo de produção bem explicado, com muitas curiosidades, atendimento impecável e degustação sem pressa e de todos os rótulos.

  • Peterlongo (Garibaldi)

A Perterlongo foi uma das pioneiras do método champenoise no sul do Brasil. É considerado o 1º “champagne” do Brasil. A visita é totalmente incrível. O mais legal que achei dessa visita foi ver antigos maquinários usados na produção de espumante antigamente. É realmente genial ver tudo isso. A degustação foi sem pressa, realizada do lado da lojinha. A visitação possui preço justo. O atendimento foi impecável. Quem quiser, pode fazer degustação com petiscos (mas para esse caso, é preciso reservar antes). E, outra coisa genial! Degustação de sucos de uva. Hummmm, foi bom! Quem estava dirigindo é que se esbaldou!

  • LaCave (Caxias do Sul)

É uma vinícola que descobri que despertou-me totalmente o interesse. Infelizmente, no dia de visita na vinícola ocorreu um imprevisto e não pude ir. Uma lástima total. Era uma das vinícolas que mais queria conhecer. O início da vinícola começa com um uruguaio, a sua construção lembra um castelo e realmente foi inspirada em um castelo medieval espanhol. A visitação possui degustação com 3 rótulos de vinhos. Segunda-feira não há nenhum tour! O local conta com um restaurante que oferece almoço e jantar. Hum, parece interessante fazer a visita e depois comer por lá, hein?

Vinicola Miolo Vale dos Vinhedos|Vinhos de guarda alcançando o seu potencial de envelhecimento|

Vale a pena comprar vinhos?

As grandes vinícolas possuem uma boa distribuição de vinhos pelo Brasil todo. A maioria dos rótulos é encontrado em qualquer supermercado, delicatessen/empório, lojas especializadas em vinhos em grande parte das cidades. Em muitos casos, não vale carregar peso de garrafas em aeroporto, transportar.

Para as vinícolas menores, pode ser interessante porque é mais difícil encontrar esses rótulos em qualquer lugar. Lembre-se que quase todas as vinícolas vendem seus vinhos pela internet com entrega no Brasil todo (com frete). De repente, pode ser uma alternativa interessante.

Um rótulo especial, de uma safra específica pode ser levado na mala para a felicidade dos amantes de vinhos.

A pergunta que não quer calar: é tão mais barato nas vinícolas? Geralmente, não. Pelo menos das vinícolas maiores não muda tanto a ponto de querer carregar o quanto puder para a casa. Nós comparamos com o Supermercado Cairú em Garibaldi e o preço de muitos rótulos era o mesmo. Ou, então, mais barato no supermercado! Pasmem!

Inclusive, em uma das vinícolas de espumantes compramos uma garrafa que afirmaram ser exclusividade de venda somente na vinícola. E, quando chegamos no supermercado, lá estava a garrafa nas prateleiras. E o pior: mais barato. Isso realmente foi um assombro para todos nós. Nós não gostamos dessa ideia de “explorar o turista”. Isso é forma antiquada para ganhar dinheiro com turismo.

O que também vale a pena: presentes diferentes que podem ser encontrados nas próprias vinícolas e algumas coisas específicas, como grappa, suco de uva (tem muitos que não são encontrados fora de lá). Ai que delícia!

Lembre-se do limite de garrafas que podem ser transportados no aeroporto em voos domésticos!

O que fazer mais (além de vinícolas)?

Não passeie apenas nas vinícolas! Que tal ampliar os horizontes da viagem pelas Serras Gaúchas?

Dar um pulinho em Gramado, Canela, Caxias do Sul? Todas são cidades lindas das Serras Gaúchas. Andar de Maria Fumaça pode ser divertido (duração média de 2 horas). Fazer um passeio pelo chamado “Caminho de Pedra” (distrito de São Pedro). Visitar Antônio Prado (histórica, cenário do filme “O Quatrilho”). Conhecer a famosa cachoeira do Salto Ventoso (Farroupilha). Visitar os cânions do sul? Vale a pena conhecer mais! Pode não dar para fazer isso tudo, mas você pode arranjar uma maneira especial de ir além das vinícolas.

Caso você conheça o Vale dos Vinhedos, deixe a sua opinião sobre as vinícolas! É sempre bom saber o que vocês pensam!

As indicações das vinícolas que constam nesse post NÃO são publieditorial. São indicações sinceras, com o coração aberto.

  • http://www.telefonescelulares.com.br/ Alex

    Sem dúvida nenhuma um dos lugares mais bonitos do Brasil.