O intuito desse artigo é sumarizar a viagem ao Chile (incluindo todos os links), considerando o roteiro que eu montei e executei. Isso inclui minhas percepções pessoais.

E, também, responder dúvidas de pessoas, que surgiram durante os meus relatos sobre essa viagem.

Como descrito no título do post, trago o Roteiro do Chile: Santiago – Deserto do Atacama – Valparaíso – Casablanca (uma das rota dos vinhos).

A viagem. Uma das melhores viagens da minha vida! Uma viagem que será sempre muito especial. E, acredito, que o Deserto do Atacama é o grande responsável. Certamente, é daqueles lugares que está inscrito naquelas listas do tipo “viagens que você deve fazer antes de morrer”. É surpreendente, de encher o olhos, emocionante. Todos os passeios no Atacama foram incríveis! Já Santiago é uma metrópole com características peculiares. É uma delícia andar pelas ruas, desvendar a cidade. Por isso, digo: ande a pé! Os cerros são o charme da cidade… Visitar o Museo Chileno de Arte Precolombino é visualizar a cultura do passado dos povos pré-colombianos, conhecer a Casa de Neruda (La Chascona) é entrar em um universo totalmente mágico desse escritor, é entender mais a sua poesia. Ir ao Parque das Esculturas é relaxar em plena metrópole.

O pós-viagem. Toda viagem nos ensina mais. E quem fez o planejamento acha que poderia ter feito melhor. Eu teria passado mais tempo no Atacama para incluir o Salar e o chamado Salar de Uyuni (que fica na Bolívia, mas é naquela região). Isso daria aproximadamente mais 5 dias na região). E, necessariamente, incluído a outra casa do Pablo Neruda (em Isla Negra). Iria com mais tempo em Viña del Mar para visitar o Museu de Antropologia (onde tem o único moai que está fora da Ilha de Páscoa).

Roteiro Chile - Santiago - Valparaíso - Deserto do Atacama - Viña del Mar - Rota dos Vinhos do Chile

 

Critérios para o planejamento dessa viagem. Como minha primeira viagem no Chile, achei interessante privilegiar os pontos turísticos básicos de Santiago e do Deserto do Atacama. Eu priorizei o básico, com alguns toques diferentes. Por exemplo: eu preferi fazer a Rota de Casablanca que o Vale Maipo (esse último mais famoso). Incluí o Parque de Las Esculturas que, normalmente, turistas não vão.

O que não surpreendeu? A Galeria Drugstore (bairro Providência). Valparaíso desapontou-me um pouco também. Por dois motivos: a sujeira da cidade, a insegurança. A cidade é bonitinha, mas o que, pra mim, realmente valeu a pena nesse lugar foi o Museu do Neruda e um restaurante charmoso que fomos.

Opiniões de outros viajantes. Gente, não quero ficar aqui colocando as minhas impressões. Então, trago as percepções de viagem de mais viajantes sobre Santiago:

“Santiago é uma metrópole segura, se comparada aos índices da maior parte das capitais brasileiras, além de limpa e arborizada. Possui um agradável conjunto de praças e espaços públicos, tais como os “cerros”. Considero o Parque Metropolitano de Santiago, devido à vastidão e à grande quantidade de atrações, como um dos melhores espaços públicos dessa metrópole. A cidade possui uma bom sistema de transporte público ferroviário, metrô, porém padece dos problemas de trânsito. Ressalta-se, ainda, o enorme percentual de pessoas fumantes, principalmente jovens. Tal fato faz com que a maior parte dos estabelecimentos comerciais, inclusive bares erestaurantes, permitam o acesso de fumantes. Por último, os cidadãos de Santiago são bastante educados e respeitosos. (Matheus, amigo, 28 anos).”

“Santiago me pareceu uma cidade bastante comum, exceto pelos cerros, parques e museus que oferecem uma opção à mais ao turista. Tirando isto achei um lugar ruim para se alimentar e se locomover, com trânsito pesado e taxistas impacientes. As hospedagens são mais caras (se comparado com outros países da América do Sul), mas, mesmo assim, vale a pena tirar 3 ou 4 dias conhecer. Não mais que isso. O Chile é enorme e oferece muito mais que Santiago para o turista, incluindo-se aí o imperdível Deserto do Atacama e as cidades ao sul do país. (Alex, meu noivo viajante, 31 anos)”

“Ficamos alguns dias em Santiago, capital do Chile, e algumas atrações que recomendo são conhecer a La Chascona, uma das casas do Pablo Neruda, perto dali visitar o Cerro San Cristóbal, a vista é esplêndida e andar no funicular é como voltar no tempo. Conhecer a Plaza de Armas e assistir à troca da guarda, ir aos museus Pré-Colombiano e Histórico Nacional, que estão nas cercanias da praça, outro ponto turístico que deve ser visitado é o Palácio La Moneda. Conhecer o museu de Belas Artes, ir ao Cerro Santa Lúcia, um parque com alguns jardins e um castelo, subindo algumas escadas tem-se um bela vista da cidade. Passear pela rua Lastarria, que possui vários restaurantes. Conhecer as ruas Paris e Londres e a igreja de São Francisco, andar de metrô e ir até o parque Quinta Normal, que possui jardins estilo Versalhes, você caminha em um chão de areia! Neste parque, para quem gosta de história, visitar o museu Ferroviário e conhecer o prédio Artequin, que esteve em uma exposição em Paris. Saindo do parque Quinta Normal vá se emocionar no Museu da Memória e descobrir um pouco sobre a ditadura chilena. Acho que toda a cidade tem os seus encantos, é preciso disposição para descobri-los. Aproveitem o passeio.”

Todos os posts do Roteiro: Santiago-Deserto do Atacama – Valparaíso – Casablanca. Enjoy!

Eu estive em Viña del Mar e já até falei em outros posts. Foi um “bate e volta”, metade de um dia, praticamente. Não vi nada de lá direito. Então, não me senti confortável para falar sobre a cidade.

Se alguém tiver alguma dúvida, que, se eu souber, eu respondo!

Uma viagem inesquecível. A viagem começa pelo mouse! Comece a sua!